As funções da palavra SE

Padrão

 

 

As funções exercidas pela palavra se

1. Termos essenciais da oração: sujeito e predicado.

a)    Sujeito: simples, composto, indeterminado; oração sem sujeito.

Considerando a palavra SE é a que mais traz dúvidas quando pretendemos identificar o sujeito de uma oração, trazemos,a seguir as várias possibilidades de classificação.

Função da palavra SE

A palavra SE pode exercer diversas funções dentro da língua portuguesa.  Tais funções são as seguintes:

Pronome apassivador ou Partícula apassivadora
Aparece na formação da voz passiva sintética com verbos transitivo direto, e transitivo direto e indireto; com verbo transitivo apenas indireto, não há possibilidade. Na prática, a frase pode ser transposta para a passiva analítica ( com dois verbos ).
Ex1: Reformam-se móveis velhos. (= Móveis velhos são reformados. )
Ex2: Entregou-se o prêmio ao aluno que obteve a melhor nota. (= O prêmio foi entregue ao aluno que obteve a melhor nota. )
Índice de indeterminação do sujeito

Também chamado de pronome impessoalizador, pronome apassivador impessoal ou, ainda, símbolo de indeterminação do sujeito, aparece junto a verbo intransitivo ou transitivo indireto.
Como o nome já diz, quando exerce essa função, a palavra SE indetermina o sujeito da oração. Esse tipo de oração não admite a passagem para a voz passiva analítica e o verbo estará sempre na 3º pessoa do singular.
Ex1: Vive-se bem naquele país.
Ex2: Precisava-se de novas fontes de riquezas.

Pronome reflexivo
Usado para indicar que a ação praticada pelo sujeito recai sobre o próprio sujeito ( voz reflexiva). É substituível por: a si mesmo, a si próprio etc.
Ex1: O lenhador machucou-se com a foice. (= machucou a si mesmo)
Ex2: Localize-se no mapa. (= localize a si próprio)

Pronome reflexivo recíproco
Usado para indicar que a ação praticada por um dos elementos do sujeito recai sobre o outro elemento do sujeito e vice-versa. Na prática, é substituível por: um ao outro, uns aos outros etc.
Ex1: Pai e filho abraçaram-se emocionados. (= abraçaram um ao outro )
Ex2: Amigo e amiga deram-se as mão afetuosamente. (= deram as mãos um ao outro)

Parte integrante do verbo
Há verbos que são essencialmente pronominais, isto é, são sempre apresentados e conjugados com o pronome. Não se deve confundi-los com os verbos reflexivos, que são acidentalmente pronominais. Os verbos essencialmente pronominais geralmente se referem a sentimentos e fenômenos mentais: indignar-se, ufanar-se, atrever-se, admirar-se, lembrar-se, esquecer-se, orgulhar-se arrepender-se, queixar-se etc.
Ex1: Os atletas queixaram-se do tratamento recebido.
Ex2: Ele não se dignou de entrar.

Partícula expletiva ou de realce
O SE é considerado partícula expletiva ou de realce quando ocorre, principalmente, ao lado de verbos intransitivos, de movimento ou que exprimem atitudes da pessoa em relação ao próprio corpo ( ir-se, partir-se, chegar-se, passar-se, rir-se, sentar-se, sorrir-se, etc. ), em construções em que não apresenta nenhuma função essencial para a compreensão da mensagem. Trata-se de um recurso estilístico, um reforço de expressão.
Ex1: Acabou-se a confiança no próximo.
Ex2: Lá se vai mais um caminhão de verduras.

A conjunção SE: Atuando como conjunção, o SE sempre introduz oração subordinada.

Conjunção subordinativa integrante
Inicia orações subordinada substantiva ( subjetiva, objetiva direta etc.).
Ex1: Ninguém sabe se ele venceu a partida.
Ex2: Não sei se tudo isso vale a pena.

Conjunção subordinativa condicional
Introduz as orações subordinadas adverbiais condicionais. Essas orações exprimem a condição necessária para que se realize ou deixe de realizar o fato expresso na oração principal. Essa relação também se pode dar num nível hipotético.
Ex1: Se não chover, partiremos à tarde.
Ex2: O material será devolvido se você quiser.

Objeto direto
Acompanha verbo transitivo direto que tenha sujeito animado.
Ex1: Ergueu-se, passou a toalha no rosto.
Ex2: Vestiu-se rapidamente, telefonou pedindo um táxi, saiu.
Objeto indireto
Aparece quando o verbo é transitivo direto e indireto.
Ex1: Ele arroga-se a liberdade de sair a qualquer hora.
Ex2: Ele impôs-se uma disciplina rigorosa.

Além de verificarmos a função da partícula SE, necessário se faz revisarmos VOZES VERBAIS.

Vozes verbais são as formas em que os verbos são apresentados, para indicar se o sujeito pratica ou sofre a ação.

Em português há a voz ativa e a passiva.

1. Voz ativa:

João escreveu a mensagem.

2. Voz passiva:

A mensagem foi escrita por João.

A voz passiva pode ser: analítica ou sintética.

2.1. Voz passiva analítica:

A mensagem foi escrita por João. (João escreveu a mensagem)

Nesse caso, tem-se:

Sujeito paciente     =    a mensagem
Verbo (auxiliar ser + particípio passado) = foi escrita
Agente da passiva = por João.

2.2. Voz passiva sintética:

Vende-se apartamentos( = apartamentos são vendidos).
Alugam-se casas para temporada(= casas para temporada são alugadas).

Nesses exemplos, verificam-se casos de voz passiva sintética: os verbos estão conjugados, concordam com o sujeito paciente em número e são acompanhados de “se”.

Obs.:
– Usa-se a voz passiva sintética quando não se sabe quem é o agente da passiva ou quando não se quer explicitá-lo.
–  Só existe voz passiva com verbos transitivos diretos.
–   Quando são verbos transitivos indiretos têm-se  ocorrência de sujeito indeterminado:.
Necessita-se de secretárias.
Fala-se muito sobre ecologia.

 

Anúncios

»

  1. Querida professora Valéria,vossa senhorita poderia me ajudar sobre variação lingüística.e ser por gentileza,você poderia me passar alguns exercícios,ou algum site,onde eu acharei estes assuntos:
    níveis da linguagem(denotação e conotação)
    Variação Lingüística
    função da linguagem.
    apólogo e fabula.
    Isto se você não se incomodar.
    parabéns pelo bom site que você fez.
    Um grande abraço de seu aluno Victor Henrique Paiva oliveira Silva

  2. querida professora obriga por criar um blog que ajuda os alunos como nós a saber um pouco mais sobre os assuntos da língua portuguesa um abraço das alunas do 9°ano, Karina, Anne,Jenniffer,e Larissa

  3. Professora, bom dia,
    Gostaria de mais esclarecimentos para distinguir o “SE” como objeto direto/indireto e pronome reflexivo. Na frase: Ergueu-se, passou a toalha no rosto o SE é OD, por que não poderia ser pronome reflexivo já que poderia ser substituído por a si mesmo? Na frase: O lenhador machucou-se com a foice o SE é pronome reflexivo, mas por que não poderia ser OD? Como faço para distinguir?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s